spanner PESQUISA DE PRODUTO
chevron-down

GPL E GNC: COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS CUJOS POTENCIAIS ESTÃO SENDO DESBLOQUEADOS POR UMA VELA DE IGNIÇÃO PIONEIRA

A ideia de reduzir para metade os custos de combustível dos automóveis, ao mesmo tempo que reduzem as emissões, parece ambiciosa. No entanto, isso facilmente pode ser alcançado hoje, com tecnologias de combustível que existem há décadas: GPL (gás de petróleo liquefeito) e GNC (gás natural comprimido). NGK SPARK PLUG, o especialista líder mundial em velas, explora estas fontes alternativas de combustível, e as únicas velas desenvolvidas especificamente para otimizar.

Tudo sobre GLP e GNC

Tanto o GPL como o GNC são combustíveis extremamente versáteis, baratos e sustentáveis. O GPL é um subproduto natural da extração de gás natural ou um resultado automático do processo de refinação de petróleo, que consiste em propano, butano ou uma mistura dos dois. Conhecido também como Autogas, Propane, Propane Autogas, GPL e GLP, LPG é o terceiro combustível de motor mais usado no mundo. Estima-se que 23 milhões de veículos funcionem com GPL em nível mundial; em particular na Europa Oriental, Benelux e na região DACH. Com pressão e temperatura normais, o GPL existe como um gás.

No entanto, quando pressionado ou esfriardo, é transformado em estado líquido, reduzindo para 1/250 o seu volume original. Isto significa que é fácil transportar grandes quantidades de energia em pequenos espaços. O GNC, por outro lado, é um produto direto do processo de extração de gás natural. Composto principalmente por metano, o GNC tem uma temperatura de ignição relativamente alta de cerca de 700° C. Ao contrário do GPL, o GNC é um combustível que sempre existe em estado gasoso, o que significa que requer mais espaço de armazenamento. Estima-se que mais de 20 milhões de veículos funcionem com GNC a nível mundial.

Menores custos e excelencia nas emissões

A mudança para estes gases proporciona muitos benefícios aos condutores, entre os quais o principal é a economia. Devido ao incentivo governamental, veículos GPL e GNC recebem subsídios governamentais em muitos países. Além disso, o GPL e o GNC proporcionam economias reais em termos de custos de combustível. Embora os preços variam de país para país, o custo médio do GPL é muito inferior ao da gasolina ou do diesel; em muitos casos, mais de 50% mais barato. Os condutores de GPL podem economizar uma média de até 40% em custos de combustível anualmente. O GNC é geralmente ainda mais barato do que o GPL, embora produza menos de metade da energia do que o GPL, resultando num GPL mais rentável a longo prazo.

Há também uma razão ambiental muito sólida para mudar para GPL ou GNC, que estão entre os mais baixos de todos os combustíveis fósseis em termos de emissões. O GNC é o combustível mais limpo de ambos, produzindo uma menor quantidade de gases nocivos. O GPL, no entanto, ainda tem muitos benefícios. Os estudos, por exemplo, demonstraram que a utilização de GPL em vez de gasolina ou diesel contribui para muito menos emissões de CO (monóxido de carbono), CO2 (dióxido de carbono) NOx (óxidos de nitrogênio ) e HC (hidrocarbonetos). O GPL, por exemplo, produz 68% menos de óxidos de nitrogênio  do que a gasolina e 96% menos do que o diesel, sem mencionar 120 vezes menos partículas do que o diesel sem mencionar 120 vezes menos partículas do que o diesel. Além disso, os gases de escape de GPL não contêm praticamente carbono negro, que contribui em grande medida para o aquecimento global e representa um grave perigo para a saúde

Convertir a gas

Embora os veículos a GPL estão disponíveis através de OEM, é mais comum que eles são convertidos. Isso requer um segundo sistema de combustível a ser instalado em uma oficina autorizada. Segundo o país, a conversão de um motor a gasolina a GPL pode levar até sete dias e custar entre 1.000€ e 3.000€. Um carro convertido, que muitas vezes tem o seu depósito de GPL instalado no espaço do pneu sobressalente no porta-bagagens, sempre arranca com gasolina fria; o que significa que ainda é necessário combustível no tanque de gasolina. Quando o motor é aquecido após cerca de um quilômetro, o carro automaticamente muda para GPL. Podem-se conseguir períodos mais longos de condução sem encher porque quando o tanque de GPL se esvazia, o automóvel muda automaticamente a GLP.

Podem-se conseguir períodos mais longos de condução sem encher porque quando o tanque de GPL se esvazia, o automóvel muda automaticamente a gasolina. Mesmo assim os automóveis híbridos podem ser convertidos em GPL, tornando-os mais econômicos e ainda mais ecológicos.

Converter um veículo para GNC é mais caro. Devido ao estado gasoso do combustível, um tanque de GNC geralmente ocupa mais espaço no porta-malas, onde normalmente está instalado. Os veículos GNC, no entanto, estão mais comumente disponíveis a partir de OEM. Tal como os veículos a GPL, é possível mudar para gasolina em veículos a GNC. Além disso, os veículos OEM mais modernos podem arrancar a frio com GNC, eliminando por completo a necessidade de gasolina.

PG LaserLine: a solução sob medida para motores a gás

No entanto, o GPL e o GNC impõem exigências extremas à ignição; fazendo com que a seleção de velas de ignição seja especialmente importante. A LPG LaserLine da NGK SPARK PLUG foi a primeira gama de velas de ignição no mercado de acessórios especialmente concebidas para automóveis a gás. Inclui oito referências de metal duplo precioso, com uma cobertura do mercado europeu de cerca de 95%. " Estas velas são ideais para funcionar com GPL, GNC e bi-fuel", diz Kai Wilschrei, Gerente Sênior do Serviço Técnico do Mercado de Pós- Venda EMEA em NGK SPARK PLUG EUROPE. "Antes de preencher este vazio, as únicas velas disponíveis para motores a gás eram as que se usavam e eram mais adequadas para motores a gasolina.  Se acostumava mudar a vela de ignição padrão por uma com metal precioso, com grau térmico mais frio e ajustava-se manualmente a distância entre eléctrodos. Mas nem sempre era suficiente e isso causou certos inconvenientes nos motores de gás ". Um problema era o risco de falha da bobina de ignição. Uma vez que a combustão de gás é mais difícil de ionizar do que a combustão de gasolina, é necessária uma tensão de ignição mais elevada (que aumenta até 7000 volts) para os motores GPL e GNC.

Isto faz qeu  as condições para uma falha da bobina de ignição, bem como para um desgaste prematuro, mais propícias. "As velas LPG LaserLine contrabalançam isto graças ao seu eletrodo central com ponta de irídio e seu eletrodo de massa com um chip de platina; permitindo que o eletrodo central seja muito fino", confirma Wilschrei. "Isto concentra a voltagem em um ponto, permitindo que a faísca de ignição seja gerada com uma voltagem inferior, o que finalmente reduz o estresse nas bobinas de ignição".

Outro desafio enfrentado pela LPG LaserLine é o da corrosão. Durante a combustão em motores a gás, formam-se ácidos agressivos que podem corroer a rosca da vela de ignição. Isto pode dificultar a extração da vela de ignição no final da sua vida útil ou danificar a coronha. " As velas LPG LaserLine têm um revestimento especial para garantir uma proteção ótima contra a corrosão ácida, assegurando que possam ser removidas facilmente mesmo depois de 60.000 km", revela o especialista.

Na verdade, 60.000 km é o intervalo de substituição recomendado para as velas de ignição LPG LaserLine. Isto é consideravelmente maior do que para as velas de ignição padrão utilizadas em motores a gás, que geralmente têm de ser substituídos duas vezes antes do normal em um motor a gasolina. Sua resistência é devido aos dois eletrodos de metal precioso, que apesar de seu pequeno diâmetro, apenas mostram desgaste. " A gama oferece verdadeira economia a longo prazo", diz Wilschrei. "Os motoristas de gás não só economizam dinheiro ao ter que comprar novas velas de ignição com menos freqüência, mas também reduzem os custos de instalação".

A gestão do calor é outro desafio. A maioria dos veículos a GPL e GNC tem a capacidade, ao tocar num botão, de trocar entre gás e gasolina como fonte de combustível. A temperatura de combustão nos motores a gás, no entanto, é maior do que nos de gasolina. Isto significa que a vela de ignição deve poder dissipar mais calor, pelo que as velas LPG LaserLine têm um grau térmico ampliado. " O simples aumento do valor de calor aumenta o risco de que as velas de ignição queimem quando o motor funciona com gasolina, já que, dependendo das condições de funcionamento, é possível que não possam atingir a temperatura de autolimpeza", adverte Wilschrei. "Para evitar isso, as velas LPG LaserLine têm um grau térmico ampliado, o que lhes permite funcionar de maneira ótima tanto com gás como com gasolina sem sobreaquecer-se ou sem comunicar-se por acumulação de fuligem". Kai Wilschrei está orgulhoso da tecnologia avançada. "Em NGK SPARK PLUG, temos uma resposta a todas as necessidades especiais de GPL e GNC. As nossas velas para veículos a gás têm uma cobertura pós-venda muito elevada, que se ajusta a quase 100 milhões de veículos na Europa. Não importa o nicho, estamos apaixonados para desenvolver a tecnologia de ignição ideal para atender às necessidades de cada veículo”

Com mais de 80 anos de experiência e um amplo portfólio de produtos, que inclui velas de ignição, aquecedores, bobinas e cabos de ignição, bem como uma ampla gama de sensores, não surpreende que NGK SPARK PLUG seja a escolha confiável de distribuidores, oficinas e condutores de todo o mundo.

LPG LaserLine: tecnologia de velas de última geração para motores a gás

1. Eléctrodos de alto rendimento: o eléctrodo central de irídio e o eléctrodo de massa com inserção de platina, ambos soldados a laser com um método patenteado por NGK, Oferecem a melhor ignição e a máxima durabilidade nas condições de funcionamento agressivas dos motores a gás, e como não são corroídas, mantêm a mesma distância entre eléctrodos durante a vida útil da vela de ignição, prolongando assim o desempenho.

2. Redução do stress nas bobinas de ignição: o fino eléctrodo central de irídio de 0,6 mm funciona com uma baixa tensão de ignição, o que reduz a tensão nas bobinas. A chama também se expande mais rápido, ajudando a acender.

3. Comportamento térmico óptimo: o núcleo de cobre dentro do eléctrodo de massa dissipa mais calor, regulando as altas temperaturas de combustão de gás. Além disso, estas velas são projetadas para evitar a acumulação de sedimentos e falhas de ignição.

4. Distância entre eléctrodos predefinida: uma distância entre eléctrodos de 0,8 mm é concebida e optimizada para o funcionamento em motores a gás e evita a regulação manual.

5. Revestimento especial da caixa metálica: o revestimento exclusivo de liga de crómio protege a caixa contra a corrosão e salvaguarda a vida útil da vela de ignição.

Slashes Comunicados de imprensa